CENTRAL DE ATENDIMENTO
Conheça as unidades

6603

Sergio Diaz

Foto do Sergio Diaz que contou sua Historia de Superação

A DESCOBERTA
Maio de 2012, data do check-up anual, mostrava que a bexiga estava bem e o PSA, como sempre, estava abaixo de 1.0, sendo que o limite é de 4.0. Alguns dias depois, o meu médico urologista, Dr. Renaut Ottoni, retirou umas amostras da bexiga e os resultados indicaram que era apropriado fazer um tratamento com BCG e que este poderia ser feito na Cidade do Panamá , onde  trabalho, mas o Dr. Renault me alertou: “ quando você voltar em Julho vamos ter que  fazer uma checagem mais ampla”.
Em Julho, ao voltar ao Rio de Janeiro, me submeti a uma cirurgia, onde se retirou um tumor bem escondido debaixo da próstata. O material recolhido foi para biópsia e voltei ao Panamá à espera dos resultados. O resultado da biópsia saiu alguns dias depois e estes indicavam um carcinoma altamente agressivo. Fiz os contatos com a família no Rio, avisando sobre o resultado e já marquei consulta com o Dr. Mauro Zukin, a quem  conhecia desde  2007. Preparei as malas e junto a minha esposa Rosa e a yorkshire terrier Mel, voltamos ao Brasil no final de agosto. Voltei cheio de planos e disposto a lutar pela minha vida, para  ficar mais um tempinho na Terra, desfrutar da família, do trabalho e dos amigos.

O INICIO DO TRATAMENTO
Na segunda-feira, 03 de setembro, estava na COI Barra na frente do Dr. Mauro. Ele  examinou folha a folha da pasta com a documentação que eu tinha montado. Disse assim: ” faça de imediato tomografias do tórax, abdômen e pelve, além de exames de sangue, e na próxima semana começará 4 ciclos de 2 sessões, cada, de quimioterapia”. Escolhi a COI Rio Sul.

A COI
Nessa semana, entrei no site da Sociedade Americana do Câncer e imprimi uma série de informações e manuais que comecei a ler junto com todas as instruções que recebi da COI. Entrei no site da COI e vi os CVs resumidos dos médicos e características dos equipamentos disponíveis para os diversos tratamentos, e percebi que estava em excelentes mãos. O Rio de Janeiro está muito bem equipado e é referência na batalha contra o câncer. Contava para que o câncer não tivesse avançado pelo meu corpo, assim poderíamos ganhar essa luta pela vida.

A QUIMIOTERAPIA
Fiz os quatro ciclos nos meses de setembro a novembro. Logo no dia 13/09 o Dr. Zukin passou um e-mail com uma excelente noticia: os resultados dos exames de tomografia indicaram que as células cancerígenas não tinham se espalhado para outros locais.
Foi um período difícil. Ainda que sentisse um pouco algum dos oito efeitos colaterais principais, ficava com muita energia somado à irritabilidade e dormia poucas horas durante a noite. Mas a energia começou a cair e, em meados de novembro, minha força estava fraquinha. Um dia me olhei no espelho e não tinha cílios, o cabelo começou a cair e eu quis raspar. Minha esposa não deixou, mas o cabelo não caiu totalmente. Tive momentos depressivos e chorei várias vezes, algumas delas sem ninguém perceber, não deveria nem poderia deixar a peteca cair.

A RADIOTERAPIA
Antes de acabar o período de quimioterapia e em vista aos resultados dos exames que, periodicamente, o Dr. Zukin determinava e checava, ele me encaminhou à Dra. Lisa Morikawa, chefe do Departamento de Radioterapia. A Dra. Lisa é uma excelente profissional com passagem por duas universidades e três hospitais nos Estados Unidos. Fui com a minha esposa Rosa, levei novamente a minha pasta atualizada com todas as informações históricas e do tratamento. A conversação foi longa, a Dra. Lisa foi no detalhe e disse que queria saber do meu urologista, o local exato da lesão. O Dr. Renaut estava no exterior, passei um e-mail para ele e de imediato contatou-se  com a Dra. Lisa.
Foram previstas 35 frações com uma dose total de 65Gy. No dia 03 de dezembro – tinham passado quatro meses desde o início do tratamento – foi a entrevista com a enfermagem e os exames preparatórios. Nesse dia a minha filha Ximena, que reside na Colômbia, veio ao Rio e me acompanhou. No dia 10 dezembro começaram as sessões diárias na COI-Barra. Eu continuava fraco, as minhas defesas de glóbulos brancos e as plaquetas caíram à metade do normal nessa luta contra as células cancerígenas. Tive uma nova sessão de quimioterapia perto do Natal – me senti pior – e depois outra sessão de quimioterapia em janeiro de 2013. A radioterapia continuava de segunda a sexta-feira e a Dra. Lisa e equipe controlando tudo.
Em 28 de janeiro de 2013, terminei a radioterapia e recebi as prescrições médicas para exames de avaliação dentro dos próximos 60 e 90 dias. Após o Carnaval, voltei ao meu trabalho na Cidade do Panamá.

RESULTADOS DO TRATAMENTO
Viajei ao Rio nos meses de abril e junho deste ano para efetuar os exames. Os resultados foram excelentes e agora, somente farei exames de controle a cada quatro meses, sendo os primeiros já marcados para outubro.
Tive consultas com o Dr. Mauro e a Dra. Lisa agora em junho e lhes agradeci pela minha volta à vida. Quando a Dra. Lisa me revisou, disse sorrindo para a minha esposa : “Rosa, ele está melhor de saúde que nós”.

DURANTE O TRATAMENTO
Sabia que pelo tratamento, ficaria algum tempo no Rio, não sabia o tempo que duraria, e decidi que durante este período, conheceria melhor a Cidade Maravilhosa, já que pelo meu trabalho no exterior, sempre fiquei pouco tempo na cidade, então falei para a minha esposa: Vamos fazer um programa no Rio: ir no Centro Cultural do Banco do Brasil, Centro Cultural dos Correios, Paço Imperial, Pão-de-Açúcar, comer em bons restaurantes, assistir a peças de teatro e cinema, lançamento de livros, conferências etc.
E assim o fizemos, entre as sessões de quimioterapia ou radioterapia, passávamos a almoçar em algum shopping ou participávamos com a família de alguma das atividades previstas. Neste período, também aproveitei e li sete livros de grandes autores, mais de 2.500 páginas recheadas de histórias e conhecimento. Passei o Natal em casa e participei da distribuição dos presentes. Passamos o Réveillon no Hotel Sheraton e, já recuperado, voltamos lá em fevereiro deste ano, para participar da  famosa feijoada de Carnaval com a bateria da Portela.
Aos sábados, ainda nos períodos de maior fraqueza, às 06:40 da manhã, subia, com várias paradas  e esforço, a colina íngreme da Rua das Acácias, na Gávea, e assistia à Missa do Mosteiro das Irmãs Clarissas. Era a forma que eu tinha de externar e manifestar a minha forte vontade de superar a doença. Na Missa, algumas vezes me tocava fazer a primeira leitura e sempre comungava.

AGRADECIMENTOS
Tinha muita gente me ajudando, dando força, rezando por mim, telefonando e passando e-mails. A eles comunicava a situação, número de sessões efetuadas, exames marcados etc.
Quero aproveitar esse espaço para agradecer a todos pelo apoio e carinho: ao Dr. Mauro e à Dra. Lisa, ao pessoal de quimioterapia (Renato, Gláucia…), da radioterapia (Juliana e Alexandre), a Viviane Nunes, Débora Brum e ao pessoal de apoio da COI, ao Dr. Renaut Ottoni, ao pessoal da minha empresa em Salvador, Rio e área internacional, ao pessoal da Sul América de Seguros, a irmã Terezinha, aos meus amigos ,a minha esposa Rosa, a minhas filhas Claudia e Ximena, ao meu filho Rodrigo, aos meus netos e a toda a família.

MENSAGEM
Um dia li uma frase do biólogo molecular inglês, Mel Greaves, que disse: “ O câncer é um predador obsceno e demoníaco”. O câncer não respeita o ser humano de nenhuma idade. Nos horários do meu tratamento, vi muito sofrimento na face de outros pacientes e de seus acompanhantes. Muitos ficavam o tempo tudo calados aguardando seu turno, mas seus olhos pareciam iluminados com a  disposição de vencer e sarar.
Agradeço à ciência médica que tem disponibilizado as medicinas e tecnologia que permitem hoje salvar tantas vidas, e aos pesquisadores que nos laboratórios no Brasil e em outros países, continuam procurando novas descobertas que permitam combater melhor os mais de duzentos tipos de câncer identificados até os nossos dias.
A quem está com câncer, eu aconselho: Trate logo, tenha fé e esperança, não desista, tente seguir com a sua vida normal  e  faça a sua parte.
Os seus médicos e suas equipes farão a outra parte, para juntos, encontrar e conseguir a sua recuperação. Que Deus os abençoe.

Sérgio Diaz
Julho de 2013.

Compartilhe: