CENTRAL DE ATENDIMENTO
Conheça as unidades

Início > Jornal > Setembro/Outubro de 2015 * Ano II * Nº 11
11458

Setembro/Outubro de 2015 * Ano II * Nº 11

jornal_SET_OUT-01-1024x440

4º NOT
3ºNOG
Dia Nacional do Doador de Medula Óssea
Dia Mundial contra a Dor
Encarando de forma positiva

Vamos falar de Câncer de Mama

Eleger períodos do ano para tratar de temas relevantes é uma forma de mobilizar a atenção da sociedade e dos diversos tipos de mídia em prol de uma causa. Outubro foi o mês escolhido para se falar de câncer de mama através da grande campanha mundial denominada “Outubro Rosa”. “Temos que chamar a atenção das mulheres para a importância da informação e da prevenção da doença. E mais, olhar para a grande luta que é a maioria da população feminina ter acesso a exames e tratamentos em tempo hábil. Na oncologia, o tempo é muito importante”, diz a oncologista do Americas Oncologia Dr.ª Monica Schaum.

A prevenção é um fator primordial. Pesquisas apontam que a maioria dos casos da doença é de origem esporádica, ou seja, não tem histórico familiar. A partir dos 40 anos, toda mulher deve ficar alerta, visitar o ginecologista com regularidade e fazer exame de mamografia anualmente. Para quem tem mama densa, é recomendada a ultrassonografia como exame complementar. “Embora o autoexame não tenha resultado em redução da mortalidade por câncer de mama, é aconselhável que a mulher se observe, conheça o seu corpo e, na presença de alterações como retração do mamilo, saída de secreção do mamilo, aparecimento de nódulos na mama e/ou na axila, procure auxílio médico”, complementa a Dr.ª Monica Schaum.

A mamografia anual leva ao diagnóstico precoce da doença que, nesse quadro, tem até 90% de cura”, observa Dr.ª Monica. O conhecimento sobre a doença também é muito importante. Fatores como envelhecimento natural, sedentarismo, reposição hormonal por tempo prolongado, sobrepeso são alguns facilitadores. “A atividade física e um peso adequado reduzem o risco, mas, mesmo assim, é muito importante a realização dos exames anuais de prevenção. Nenhuma mulher está livre dessa possibilidade”, alerta a oncologista.

O sentimento de medo e ansiedade é natural para quem recebe o diagnóstico de câncer de mama. Entender que a doença pode acontecer com qualquer pessoa e que, quanto mais precoce for o diagnóstico, maior será a chance de cura, é primordial. Ao receber o diagnóstico da doença, é muito importante ter uma postura proativa, procurando fazer parte, junto com a equipe assistente, do seu processo de tratamento.

Uma conversa franca com a equipe assistente, trabalhando de forma realista todas as suas dúvidas, é a melhor parte de se engajar nesse processo. “É uma fase inicialmente difícil, mas que vai passar”, complementa ela. Hoje, existem drogas novas, cirurgias menos invasivas e quimioterapias com menos efeitos colaterais”, conta Dr.ª Monica. Ela esclarece ainda que a oncologia tem atualmente uma abordagem multidisciplinar.

No Americas Oncologia, por exemplo, são oferecidos apoio de psicólogos, nutricionistas e especialistas em dor. “Nunca é fácil, mas, passar pelo tratamento mantendo esse tipo de apoio, faz a diferença. Manter atividade física, vida social e contato com amigos também faz toda a diferença. Tem que se levar a vida da melhor forma possível”, ensina a Dr.ª Monica Schaum. Outro conselho da médica é trocar experiências, aproveitar os benefícios da informação compartilhada. “Busque grupos de apoio ou converse com pessoas que já passaram pela doença. Pense e planeje o futuro. Almejar um futuro é estar vivo. Não deixe a vida influenciar sob o tempo de cuidado que você tem com você mesmo. Se cuide sempre! Seja a prioridade na sua vida”, conclui a médica.

saude bucal

 4º Simpósio Anual do Núcleo de Oncologia Torácica do Instituto COI – NOT

Nos dias 22 e 23 de outubro, acontece o 4º Simpósio Anual do NOT, Núcleo de Oncologia Torácica do Instituto COI, no Americas Medical City, Barra da Tijuca e no hotel Sofitel Rio de Janeiro, em Copacabana, respectivamente. O evento espera reunir uma média de 300 participantes e 20 palestrantes nacionais e internacionais, dentre oncologistas clínicos, cirurgiões torácicos, pneumologistas, geneticistas, radio oncologistas, entre outros.

A proposta do encontro é ter uma abordagem multidisciplinar do paciente que necessita de cuidado integral.  “Será um evento interativo. Faremos apresentações de casos clínicos baseados em ocorrências do dia a dia. Esse tipo de abordagem é muito rica porque, na prática, cada paciente é único e tem necessidades únicas. Queremos buscar a melhor forma de ajudar o paciente com os melhores tratamentos possíveis, dentro do que é viável na relação de custo e de acesso à tecnologia”, informa o médico oncologista e diretor técnico do Americas Oncologia, Dr. Mauro Zukin.

Durante as dez horas do encontro, acontecerão debates, palestras e apresentação de casos. A cirurgiã de tórax Dr.ª Paula Ugalde, radicada no Canadá, apresentará novas técnicas de cirurgia minimamente invasiva, e o Dr. Rogério Lilenbaum, diretor do Yale Cancer Center, nos Estados Unidos, fará apresentação dos últimos acontecimentos em sua área. “Esta troca é muito importante. Nossa ideia é começar a aplicar os novos conhecimentos já na semana seguinte em nosso trabalho”, diz o Dr. Mauro Zukin.


 3º Simpósio Anual do Núcleo de Oncologia Gastrointestinal – NOG

O 3º Simpósio Anual do Núcleo de Oncologia Gastrointestinal (NOG) reuniu, no mês de agosto, cerca de 200 participantes no Windsor Barra Hotel para apresentar e trocar informações sobre as novidades da área. “Estudamos casos clínicos baseados em discussões práticas. Houve interação entre plateia, palestrantes e debatedores, formados por cirurgiões, radiologistas, radio-oncologistas, oncologistas e gastroenterologistas. As questões e a opinião de quem par ticipava do evento foram discutidas com os especialistas presentes”, conta o coordenador do evento, Dr. Alexandre Palladino.

Foram difundidas novidades em cirurgia robótica, novas drogas, técnicas de cirurgia de metástase para fígado, técnicas mais modernas de radioterapia e imagem. “É sempre muito benéfica a troca de conhecimento e experiências entre os profissionais. Queremos sempre melhorar a vida de nossos pacientes”, diz Dr. Palladino.

06 OUT | Dia Nacional do Doador de Medula Óssea
A união de todos pode salvar muitas vidas

No dia 6 de outubro, é comemorado o Dia Nacional do Doador de Medula Óssea. A data foi escolhida para homenagear quem se dispõe a ajudar ao próximo e também paraincentivar novos doadores. Toda data comemorativa é uma forma de tirar ao menos uma época do ano para chamar a atenção para determinado tema. Nessa ocasião, são feitas ações para aumentar o número de doadores e relembrar aos já cadastrados a importância de atualizar suas informações. “Temos registros do aumento significativo de doadoresnesse período”, relata o Dr. Ricardo Bigni, hematologista e especialista em transplante de medula óssea do Americas Oncologia.

O transplante de medula óssea alogênico é indicado principalmente para pacientes com alguns tipos de leucemia e insuficiência medular se- vera. É retirada pela veia do doador uma pequena quantidade de sangue (de cinco ml a 10 ml), que será analisado por exame de compatibilidade HLA, teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante.

As informações da tipagem HLA são incluídas no cadastro do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). Os dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam desse tipo de transplante. Se o doador for compatível com algum remépaciente, outros exames de sangue serão necessários. “Se a compatibilidade for confirmada, o doador será consultado para confirmar o seu desejo de realizar a doação”, explica Dr. Ricardo Bigni.

A medula óssea é encontrada no interior dos ossos. É rica em células-tronco, responsáveis pela formação dos componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. São doadores pessoas entre 18 e 55 anos de idade e em bom estado de saúde, que não sofram de doença infecciosa ou incapacitante, não portadoras de câncer ou que não tenham recebido tratamento prévio baseado em quimioterapia. No caso de o paciente ser uma criança, pode ser possível essa ter um irmão também criança como doador, com a permissão dos pais.

18 de outubro jornais

17  OUT | Dia Mundial Contra a Dor
O conhecimento ajuda a evitar o sofrimento

“Se a dor é inevitável, o sofrimento é opcional”. Essa é a premissa que rege a Clínica de Dor do Americas Oncologia, coordenada pelo Dr. Paulo Renato Barreiros da Fonseca. “A dor faz parte do processo das doenças oncológicas, mas suportar não faz. O controle da dor é fundamental para melhorar a qualidade de vida dos pacientes em tratamento do câncer”, afirma o médico.

O dia 17 de outubro é a data escolhida para chamar a atenção para o tema da dor, oncológica ou crônica. “No mundo, entre 35% e 40% da população sofre de algum tipo de dor crônica, aquele que dura continuamente por mais de três meses ou a maior parte dos dias, dos últimos seis meses”, explica Dr. Paulo.

As dores de cabeça e as dores nas costas são as mais comuns. E, no caso dos pacientes em tratamento de câncer, a dor forte atinge de 60% a 70% nas fases avançadas de doença oncológica. Ela pode ser causada pela radioterapia, pela quimioterapia, por uma cirurgia, pela biópsia, por cicatriz ou até mesmo por remédios que podem causar, por exemplo, dor nas articulações.

“A Clínica de Dor nasceu de uma demanda dos oncologistas. Trabalhamos em conjunto para ajudar nossos pacientes. Ela é oferecida aos que fazem tratamento no COI, sem custo adicional. Dor traz sofrimento, ansiedade e depressão, quando não é resolvida, e acaba atrapalhando o tratamento. O foco de nosso trabalho é melhorar a qualidade de vida de nossos pacientes”, enfatiza Dr. Paulo Renato Barreiros da Fonseca.

 Encarar o processo de forma positiva faz a diferença na recuperação e leva à vitória
Karina Colpaert

A psicóloga Karina Colpaert, de 38 anos, descobriu o câncer de mama durante um exame preventivo de rotina há pouco mais de um ano. “Por conta da idade, meu médico pediu que eu fizesse uma ultrassonografia. Não tenho caso de câncer de mama na família. Apareceu, em um dos meus seios, um nódulo de três centímetros e meio. Foi um susto, o que me fez reavaliar toda a minha vida”, conta Karina, que trabalhava como gerente de RH de uma multinacional. “Com o diagnóstico, vem uma noção de que a morte pode estar próxima. Daí, você se revê. Tirei licença do trabalho, me conectei comigo mesma, avaliei o que é realmente importante para mim e passei a encarar a vida de forma mais leve”, conta Karina, que é casada e mãe de dois meninos pequenos. A cirurgia de mastectomia total da mama direita, opção do médico em razão do tamanho do nódulo, foi feita vinte dias depois ao resultado. E a prótese mamária foi colocada no mesmo dia. “Tive sorte!”, comemora.

No mês seguinte, a psicóloga embarcou com o marido, os dois filhos pequenos e avós e tios para a Disney. “Vivemos todos juntos esse momento, inclusive meus filhos pequenos. Expliquei que a mamãe ‘achou uma bolinha má, por isso fez a cirurgia e que tomaria um remédio que cai o cabelo’. Essa troca foi um fator fundamental. Hoje eles sabem que problemas existem e podem ser superados”, lembra Karina.

Durante a viagem, a psicóloga comprou sete tipos de perucas diferentes: cinco bem parecidas com o moreno natural, uma loira e outra ruiva. “Brincamos muito com as perucas junto com as crianças, mas, quando o cabelo começa a cair, é muito difícil. O cabelo é a moldura do rosto e um artifício de sedução. Também optei por dividir minha tristeza com minha família e filhos. Ficamos muito cúmplices, o que ajudou a desenvolver um espírito otimista nos meninos”, conta.

Foram quatros sessões de quimioterapia realizadas no COI da Barra da Tijuca. “Nossas expectativas quase nunca traduzem a realidade. Na noite anterior à primeira sessão, não dormi direito e fiquei com o estômago embrulhado. Fui recebida por uma equipe carinhosa, o box era superconfortável e a quimio não era ruim. Somente os enjoos, alguns dias depois, são desconfortáveis”, lembra. “Optei por usar muito lenço e só saía de casa bem arrumada e maquiada. Passei a usar batom vermelho. Me preocupava em passar uma imagem positiva para as pessoas. E só escutava elogios à minha beleza e atitude, o que ajuda muito nesse processo de aceitação, de aceitar seu corpo como ele é. Hoje tenho um peito com história”, diz animada.

Karina volta ao COI duas vezes ao mês como parte do tratamento. “Fico muito solidária quando vejo alguém de lenço. Paro, converso, conto minha história. Ser solidário, trocar experiências é muito positivo”, comenta. Ela também largou a vida de executiva e criou a página ‘A beleza do avesso’, no Facebook, onde escreve diariamente sobre sua história. “Procuro passar mensagens positivas para as pessoas. Essa experiência me trouxe muita gratidão, a qual exercito todos os dias. E não perco a oportunidade de expressar diariamente meu carinho para quem eu amo”, conclui.

 

Participação em Congressos e Eventos – Médicos Americas Oncologia
Maio de Junho

Radio-Oncologista – Igor Migowski
Encontro Científico do Grupo de Tumores de Cabeça e Pescoço – Palestrante
Data: 12/05| Local: Restaurante Ícaro, Rio de Janeiro

Oncologista Clínico – Paulo Mora
Evento da Roche para Oncologistas Clínicos – Palestrante
Data: 06/05 | Local: Hotel Raddison, Belém (PA)

II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica – Palestrante
Data: 14/05 | Local: Belo Horizonte (MG)

Encontro Científico do Grupo de Tumores de Cabeça e Pescoço – Palestrante
Data: 12/05 | Local: Restaurante Ícaro, Rio de Janeiro

Evento Roche Market Access Meeting – Palestrante
Data: 19/06 | Local: Windsor Atlântica Hotel, Rio de Janeiro

Evento de Neoplasias Ginecológicas – Palestrante
Data: 20/06 | Local: Goiânia (GO)

Hematologista Clínico – Ricardo Bigni
Haimatus – Simpósio Internacional de Onco-Hematologia – Palestrante e Chairman
Data: 15 e 16/05 | Local: São Pauo (SP)

Radio-oncologista – Elisa Campana
Encontro Científico do Grupo de Tumores Geniturinário – Palestrante
Data: 11/06 | Local: Churrascaria Mocellin, Niterói (RJ)

Oncologista Clínico – Pedro Masson
Encontro Científico do Grupo de Tumores Geniturinário – Palestrante
Data: 11/06 | Local: Churrascaria Mocellin, Niterói (RJ)

Oncologista Clínico – Diogo Rodrigues
Evento Promovido pelas Indústrias Astellas e Pfizer – Palestrante
Data: 17/06 | Local: Restaurante Grand Cru, Rio de Janeiro

Físico Médico – Aluísio José de Castro Neto
XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia – SBRT – XV Jornada de Física Médica – Palestrante
Data: 19/06 | Local: Foz do Iguaçu (PR)

Oncologista Clínico – Fábio Affonso
Evento Promovido pelas Indústrias Astellas e Pfizer – Palestrante
Data: 17/06 | Local: Restaurante Grand Cru, Rio de Janeiro (RJ)

Encontro Científico do Grupo de Tumores Geniturinário – Palestrante
Data: 11/06 | Local: Churrascaria Mocellin, Niterói (RJ)

Oncologista Clínico – Fernando Meton
Roche Market Access Meeting – Discussões e Práticas para o Acesso Sustentável de Medicamentos – Palestrante
Data: 19/06 | Local: Windsor Atlântica Hotel, Rio de Janeiro

Encontro Científico do Núcleo de Oncologia Gastrointestinal – NOG – Palestrante
Data: 30/06 | Local: Churrascaria Fogo de Chão, Rio de Janeiro

Físico Médico – Guilherme Pavan
XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia – SBRT – XV Jornada de Física Médica – Palestrante
Data: 19/06| Local: Foz do Iguaçu (PR)

XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia – SBRT – XII Encontro de Técnicos em Radioterapia – Palestrante
Data: 20/06 | Local: Foz do Iguaçu (PR)
Físico Médico – Anderson Senna

XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia – SBRT – XII Encontro de Técnicos em Radioterapia – Palestrante
Data: 20/06 | Local: Foz do Iguaçu (PR)

Oncologista Clínico – Bruno Vilhena
Encontro Científico do Núcleo de Oncologia Gastrointestinal – NOG – Palestrante
Data: 30/06 | Local: Churrascaria Fogo de Chão, Rio de Janeiro

Físico Médico e Diretor da Radioterapia – Hélio Salmon
XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia – SBRT – XV Jornada de Física Médica – Coordenador
Data: 18/06| Local: Foz do Iguaçu (PR)

Evento Roche Market Access Meeting – Palestrante
Data: 19/06 | Local: Rio de Janeiro

Evento de Neoplasias Ginecológicas – Palestrante
Data: 20/06 | Local: Goiânia (GO)

Expediente

Unidades:
Barra da Tijuca MD.X Barra Medical Center
Botafogo I Torre do Rio Sul
Botafogo II Rua da Passagem, 29
Niterói  Icaraí
Nova Iguaçu Ed. Vitality | Centro
Central de Atendimento: (21)3385-2000

Boas Novas
Informativo do Americas Oncologia publicação interna bimestral

Coordenação Editorial
Editor Médico do Americas Oncologia
Dr. Fernando Meton
Editora Responsável
Viviane Serretti Barbosa

Projeto Gráfico e Diagramação
Tutti Design

Jornalista Responsável
Melissa Jannuzzi (Mtb 23212)

Tiragem: 3.000

Contato/Sugestões
marketing@americasoncologia.com.br

Compartilhe: