CENTRAL DE ATENDIMENTO
Conheça as unidades

Início > Jornal > Novembro/Dezembro de 2014 * Ano I * Nº 6
9792

Novembro/Dezembro de 2014 * Ano I * Nº 6

Boas Novas 3

Alvo certeiro
17 de novembro – Novembro Azul
27 de novembro – Dia Nacional de Combate ao Câncer
9 de dezembro – Dia do Fonoaudiólogo
Alimentação e Câncer: Informe-se
Antídoto contra o desânimo
“Pedir suporte, dar tempo ao tempo e acreditar que a vida volta ao normal”


Alvo certeiro
Helio Salmon

Tecnologia de ponta em radioterapia também estará disponível nas novas unidades de Botafogo e Niterói. O desafio de iniciar um projeto de alta tecnologia em radioterapia na cidade do Rio de Janeiro levou a direção do Americas Oncologia a buscar o físico médico, Helio Salmon, que aborda nesta entrevista como foi a sua experiência: “Em 2008 fui convidado pelo presidente, Dr. Nelson Teich, a vir conhecer o Americas Oncologia. Na hora da ligação, não tive o interesse despertado, não imaginei que aquele seria o momento para mudar de emprego ou de cidade”.

Naquela época, Helio trabalhava em São Paulo em um hospital de referência, e segundo ele, no Rio de Janeiro, não havia um grande investimento nesta área. Mas, após uma nova conversa ele percebeu que aquele convite não era apenas uma oferta de emprego, mas sim o desafio de iniciar um projeto de alta tecnologia em Radioterapia na cidade. “Acreditei muito na filosofia que a instituição seguia e aquelas ideias faziam parte do meu perfil e dos meus ideais.”

Após a tomada de decisão de aceitar a proposta para o novo projeto, Helio foi incentivado pela nova empresa a passar um tempo na Universidade da Carolina do Norte estudando e acompanhando os profissionais em todas as rotinas do departamento. Em novembro de 2009, começou a funcionar a Radioterapia do Americas Oncologia e rapidamente a demanda no número de tratamentos foi aumentando e a empresa se tornou reconhecida como sinônimo de qualidade também nesta área, pois já possuía fama em tratamento oncológico e hematológico.

Com isso, o serviço de radioterapia precisou crescer sua equipe e também o número de máquinas. Em 2010, iniciou-se o tratamento de Braquiterapia, que é indicado para tumores ginecológicos. Em 2011, foi instalada a segunda máquina de radioterapia, o Trilogy. Desta maneira, o Grupo atualizou as tecnologias desenvolvidas, continuou a oferecer as técnicas de tratamentos mais modernas do mundo e a equipe se tornava referência fazendo parte de uma instituição com a capacidade de oferecer tratamentos da mesma complexidade de qualquer hospital de referência mundial.

Em 2012, iniciou-se o programa de residência para físicos médicos e em 2013 um curso livre para Radioterapeutas e Dosimetristas. Segundo Helio, esse tipo de programa tem sido fundamental para iniciar profissionais apresentando um trabalho que visa o melhor benefício possível para o paciente. Outra conquista é que a empresa americana Varian, fabricante de aceleradores lineares, firmou uma parceria com o Grupo, oferecendo treinamentos para profissionais da América Latina. Todos os profissionais da radioterapia do Grupo são convidados a participar como palestrantes dos maiores congressos do Brasil, incluindo radioterapeutas, físicos, técnicos e enfermeiras.

Além disso, a equipe colabora com o treinamento de profissionais do próprio órgão regulador no Brasil, participando de projetos com a AIEA – Agência Internacional de Energia Atômica. Para Helio, o projeto do serviço de Radioterapia do Americas Oncologia está somente no começo, pois agora a empresa traz mais uma novidade para a cidade, trará o mais moderno acelerador linear do mundo, o TrueBeam para a nova unidade de Botafogo. Esse equipamento proporciona ao tratamento maior precisão e rapidez na entrega da dose, oferecendo ainda mais benefícios aos pacientes assistidos.

“O projeto contempla também oferecer à cidade de Niterói as mesmas tecnologias e o mais importante, a mesma filosofia que foi empregada na unidade da Barra da Tijuca, onde mudamos a história da Radioterapia na cidade do Rio de Janeiro”, finaliza Helio.

Radioterapeutas:
Antonio Pedro Abido Ribeiro
Elisa de Oliveira Campana
Francisco Alberto Campana
Igor Migowski dos Santos
Juliana Depra Panichella
Lisa Karina Kokay Morikawa
Rosana Rodrigues de Andrade

17 de novembro – Novembro Azul

Você já ouviu falar em Movember? Durante todo o mês de novembro, em diferentes partes do mundo, existe um movimento batizado com este nome – a associação das palavras em inglês “moustache” e “november”, respectivamente bigode e novembro. Este movimento visa despertar nos homens uma maior conscientização sobre a importância da detecção precoce, diagnóstico e tratamento efetivo contra o câncer de próstata.

Lançada pela Fundação Movember (movember.com), a brincadeira cutuca os homens e desafia-os a deixarem seus bigodes crescidos no sentido de gerar uma marca, ou como explica a Fundação provocar “um impacto eterno na face da saúde masculina.” No Brasil, o Movember ainda não se tornou conhecido assim como também as campanhas do Novembro Azul que ainda são bem tímidas. Segundo Dr. Fábio Affonso, oncologista clínico do Americas Oncologia, a disseminação do Novembro Azul no país segue uma tendência mundial, pois essa campanha só saiu do papel, em 2003, na Austrália, bem depois do Outubro Rosa, criado em 1990.

O mês de novembro foi escolhido pois o dia 17 é dedicado ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), os números apontam mais de 68 mil novos casos de câncer de próstata em 2014. Apesar dessa incidência elevada, os homens a partir dos 45 anos ainda resistem em fazer os exames anuais de PSA e de toque retal.

Para Fábio Affonso, trata-se de uma questão cultural em nosso país. Ainda existem muitos homens com preconceito. “Mas tenho observado, ao longo do tempo, que após as campanhas de prevenção e com maior informação acerca do problema do câncer de próstata, cada vez mais temos homens atentos para esse assunto”. Embora não exista nada até o momento que seja eficaz na prevenção do câncer de próstata, ele recomenda a receita da boa qualidade de vida: exercícios físicos regulares, dieta balanceada e exame anual com o urologista.

27 de novembro – Dia Nacional de Combate ao Câncer

Para este ano de 2014, são estimados cerca de 580 mil novos casos de câncer em todo o país. Embora o número possa surpreender, grande parte dos casos de câncer são causados por hábitos de vida não saudável, estão associados ao estilo de vida, ou seja, você pode mudar essa realidade. Com o objetivo de tornar a sociedade uma aliada na prevenção e diagnóstico precoce da doença, o Ministério da Saúde instituiu em 1988, o Dia Nacional de Combate ao Câncer com a finalidade de mobilizar a população quanto aos aspectos educativos e sociais no controle do câncer.

9 de dezembro – Dia do Fonoaudiólogo

“No dia 09 de Dezembro, o Americas Oncologia presta uma homenagem aos fonoaudiólogos, profissionais de saúde que atuam na pesquisa, prevenção e reabilitação das alterações da deglutição e da comunicação humana.”

Alimentação e Câncer: Informe-se

Quais são os mitos e verdades sobre alimentação e câncer? Quais os alimentos que devem ser evitados e quais são os aliados nesses casos? Como estas e outras questões interessam a todos, o Jornal Boas Novas entrevistou a nutricionista do Americas Oncologia, Mônica Benarroz, para esclarecer os leitores.

Boas Novas: Você poderia citar alguns mitos e verdades sobre alimentação e câncer?
Mônica Benarroz: A ciência da nutrição associada ao câncer é um campo muito fértil para pesquisa, mas, até o momento, o que é consenso internacional é ter uma alimentação balanceada com baixo consumo de carne vermelha e carnes processadas, preferir frutas e hortaliças, abster-se ou restringir o consumo de álcool, ter o peso corporal adequado para altura e idade. Os mitos são muitos e não tem respaldo científico.

Abaixo alguns exemplos de informações sem comprovação na Literatura:

1) Açúcar “alimenta” as células cancerosas. Na realidade, todas as células, cancerosas ou não irão necessitar de glicose, presente nos doces e diversos outros alimentos, para ter energia.
2) A cura do câncer por meio do consumo de plantas medicinais, como a babosa, o aveloz, a folha de graviola e o chá verde.
3) A prevenção ou cura do câncer a partir do consumo de algumas frutas conhecidas como as “berries” (amora,framboesa, mirtilo, morango) e hortaliças ricas em enxofre como as crucíferas (brócolis, couve-flor, couve, mostarda, repolho e rúcula).
4) A prevenção de câncer por meio do consumo de comprimidos de poli vitamínicos ou cápsulas de ômega-3.
5) Adoçante causa câncer. Não há evidências que o consumo de adoçante causa câncer em seres humanos.

BN: Os alimentos podem ser aliados?
MB: Todos os tratamentos antitumorais são muito agressivos, por isso, quanto mais bem nutrida a pessoa estiver, mais fortalecido será seu sistema imunológico e maiores são as chances de suportar o tratamento. Os efeitos adversos podem ser mitigados e/ou controlados a partir de uma alimentação adequada para cada caso. Mesmo o paciente com via de alimentação alternativa e o uso de sonda deve ter alimentação balanceada.

BN: O que se deve evitar consumir durante o tratamento?
MB: De um modo geral, deve-se evitar grupos de alimentos ricos em gordura e carne vermelha em excesso. Procurar manter uma alimentação saudável e balanceada. Manter uma boa ingestão de líquidos. Pacientes em tratamento quimioterápico, que tem maior risco de redução da imunidade, não devem comer nenhum tipo de carne crua, uma vez que pode haver contaminação da mesma por bactérias e consequente infecção gastrointestinal.

BN: Quais são as dicas que daria para aqueles que têm enjoo e não têm vontade de se alimentar?
MB: Sugiro que as pessoas não sigam unicamente a internet, vizinhos ou amigos, pois cada paciente tem uma necessidade específica. É sempre muito importante consultar um profissional da área para ajudar no controle de sintomas e nas estratégias de alimentação personalizadas. A reportagem completa com a nutricionista Mônica Benarroz pode ser conferida no site WWW.americasoncologia.com.br.

Antídoto contra o desânimo

Como as histórias pessoais sobre o câncer podem ir muito além da simples associação da doença com dor e sofrimento, Dr. Mauro Zukin, Diretor Técnico do Americas Oncologia, propôs um desafio à Gerente de Marketing, Viviane Serretti Barbosa, e foram à luta, para lançar o Projeto Histórias de Superação. Dar ou não certo era um grande enigma, mas Zukin tinha o desejo de fazer algo diferente pelos pacientes. “A concepção do projeto surgiu após ver meus pacientes se sentirem derrotados ao saberem de pessoas que vieram a falecer de câncer.

Havia sempre a ideia que a morte era o único caminho. Isso é totalmente errado já que a maioria dos pacientes se cura. Porém, não havia espaço para contar essas histórias”. Hoje, ele conta que as histórias de superação têm sido importantes ferramentas que auxiliam todos que iniciam essa jornada. O projeto é um espaço reconhecido no site do Americas Oncologia, no qual as pessoas que superaram a doença ou alguma de suas fases podem dar seus depoimentos e ajudar outros que ainda estão no início. “Queremos mostrar às pessoas que elas podem vislumbrar um futuro que também traz boas notícias. São pessoas de diferentes idades e momentos de vida diversos, que têm a chance de comungar de um final de superação”, conta. Mais de 50 depoimentos já foram publicados no site e em 2015 será lançado um livro com muitas dessas histórias além de depoimentos de grandes personalidades falando sobre superação. Os personagens de vida real que tornam públicas suas histórias têm contribuído para mudar essa visão do câncer como algo fatalista.

“Você ver uma pessoa que passou por tudo isso e hoje em dia casou tem duas filhas e aparece na foto sorrindo com a família, vale mais do que 1000 palavras”, diz. E em vários países ao redor do mundo, vemos que existem iniciativas do gênero. Nos Estados Unidos, conta Zukin, há corridas dos sobreviventes, caminhadas dos vencedores. “Então, por que não mostramos os nossos programas de sucesso também?”, questiona.

“Pedir suporte, dar tempo ao tempo e acreditar que a vida volta ao normal”
Luciana Medeiros

“A suspensão da vida vai progressivamente ficando mais difícil. É preciso ter em mente que acaba. Que é um período com começo, meio e fim, numa situação em que a grandíssima maioria dos pacientes sai com grande sucesso”. Este é parte do relato da jornalista Luciana Medeiros que, com garra e determinação, enfrentou um período em isolamento por conta de um transplante autólogo de medula óssea, ou seja, com suas próprias células. Tudo começou em 2008 quando embarcava rumo à França e notou um nódulo embaixo do maxilar.

De volta ao Brasil, fez duas biópsias enviadas para exame patológico até conseguir fechar o diagnóstico de linfoma não Hodgkin de alto grau. Trocando em miúdos, era um linfoma de células do manto que tem como característica a possibilidade de reaparecer (recidiva da doença) e de se espalhar rápido (metástase). O transplante aconteceu em 2012 e junto com a “pega da medula” e a fabricação das novas células, surgiu também uma original produção intelectual: o blog Diário do Manto. Este veículo de comunicação com os amigos e familiares que ficaram do lado de fora da “bolha” funcionou como um alento ao que Luciana conta, sem censura, ter sido um período bastante difícil.

“Não apenas pelo isolamento, mas pela intensidade do tratamento: uma verdadeira maratona medicamentosa que em alguns momentos trouxe efeitos complexos – fraqueza, mucosite, náusea. No transplante, a parte em que a gente está começando a recuperar a medula é a mais incômoda, porque a energia vai à zero”. Luciana narra que a maneira como as pessoas lidam com a doença vem de cada um, de cada temperamento, mas ela ensina que o truque é não cair em radicalidades, em pânicos, evitar obsessão com a doença – afinal, “é uma doença, uma falha na máquina, como qualquer outra falha em qualquer máquina”, diz.

E ela ainda tem inspiração para dar conselhos simples: “pedir ajuda, pedir suporte, dar tempo ao tempo e acreditar que a vida volta ao normal. Se engajar numa terapia ajuda muito. No momento em que o médico avisa que é hora de sair do hospital e voltar para casa, é uma verdadeira glória!” E o mais bonito e comovente, segundo ela, foi receber tanto carinho. “Tenho uma vida muito independente, ativa e cheia de responsabilidades. Muita gente se mobilizou para me dar apoio emocional.

Alguns amigos se transformaram em grandes suportes, e eu acolhi essa ajuda, Essa foi uma lição muito importante.” Aos novatos nesse caminho, Luciana recomenda “seguir todas as indicações e confiar na equipe. E também diria para evitar o que chamo de Dr. Google – ficar escarafunchando informações na rede, que podem trazer conclusões sem contexto e totalmente infundadas. Cada caso é um caso. O ideal é manter uma relação de confiança com os médicos e perguntar o que quiser para eles. Para os familiares,recomendo passar confiança e carinho. E estar disponível para ouvir, acompanhar e distrair.”

Participação em Congressos e Eventos – Médicos Americas Oncologia
Setembro e Outubro

Psico-Oncologista Daniella Righetti
29 set | Marinha do Brasil, RJ

Cirurgião-dentista Dr. Héliton Spíndola
Jornada Odontológica do Hemorio
24 out | Hemorio, RJ

Fonoaudióloga Carla Aranega
I Encontro Temático da Academia Nacional de Cuidados Paliativos Sudeste
18 out | Auditório do Hospital Samaritano
Fórum Comemorativo ao Dia Internacional dos Cuidados Paliativos
24 out | Hospital Adventista Silvestre

Oncologista Clínico Dr. Fernando Meton
Lilly Science and Innovation 2014
24 out | São Paulo

Oncologista Clínica Dr.ª Deisymar
Dolores Corrêa
03 out | Hospital Federal do Andaraí, RJ

Enfermeira Adriana Crespo
2º Congresso Multidisciplinar em Oncologia do Instituto do Câncer do Hospital Mãe de Deus
10 e 11 out | Porto Alegre, RS

Oncologista Clínica Dr.ª Ana Paula Victorino
Perfil Genético do Câncer Colorretal
11 out | Colégio Brasileiro de Cirurgiões, RJ

Anestesiologia e Coordenador Clínica de Dor OncológicDr. Paulo Renato
2ª edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Médicos Intervencionistas em Dor – (SOBRAMID)
23 a 25 out | São Paulo

Oncologista Clínica Dr.ª Tatiane Montella
Medical Education Program on LUNG CANCER Management
4 e 5 set | YALE Câncer Cernter, Connecticut-USA

Oncologista Clínica Dr.ª Clarissa Baldotto
XVIII International Congress of Neuropathology
15 set | Hotel Sheraton, Rio de Janeiro

Psico-Oncologista Laura Campos
27 out | AAFBB da Cassi no Centro 

II Congresso e XI Jornada de Psicologia da Saúde do Hospital Sírio Libânes
5 a 7 set | São Paulo
Apresentação de pôster:
Psico-Oncologista Laura Batitucci Campos.
Psico-Oncologista Daniella Righetti.

Encontro Científico do Grupo de Tumores Geniturinários
28 out | Restaurante Rubaiyat, Rio
Médicos palestrantes:
Oncologista Clínico Dr. Fábio Affonso
Radio Oncologista Dr.ª Juliana Panichella

Encontro Científico do Grupo de Tumores Ginecológicos
22 out | Pomodorino Ristorante- RJ
Médicos palestrantes:
Oncologista Clínico Dr. Celso Rotstein
Oncologista Clínica Dr.ª Helaine Pelluso
Oncologista Clínico Dr. Paulo Mora

Encontro Científico do Núcleo de Oncologia Torácica
16 set | Restaurante Rubaiyat Rio – Jardim Botânico
Médicos palestrantes:
Oncologista Clínica Dr.ª Clarissa Baldotto
Oncologista Clínico Dr. Carlos Gil Ferreira
Oncologista Clínico Dr. Mauro Zukin
Oncologista Clínica Dr.ª Tatiane Montella
Radio Oncologista Dr. Igor Migowski

VIII Congresso Franco Brasileiro de Oncologia
9 a 11 out | Hotel Sofitel – RJ
Médicos palestrantes:
Oncologista Clínico Dr. Fernando Meton
Oncologista Clínica Dr.ª Deisymar Dolores Corrêa
Oncologista Clínico Dr. Carlos Gil Ferreira
Oncologista Clínico Dr. Mauro Zukin
Radio Oncologista Dr.ª Juliana Panichella
Oncologista Clínica Dr.ª Clarissa Baldotto
Oncologista Clínico Dr. Gelcio Luiz Quintella Mendes
Oncologista Clínico Dr. Bruno Vilhena
Físico Médico Helio Salmon
Oncologista Clínica Dr.ª Maria de Fátima Gauí
Oncologista Clínico Dr. Carlos José Coelho De Andrade

Expediente

Unidades:
Barra da Tijuca MDX Barra Medical Center
Botafogo Torre do Rio Sul
Nova Iguaçu Ed. São Paulo
Botafogo II Rua da Passagem, 29 (em breve)
Niterói – Icaraí (em breve)
Central de atendimento: 3385-2000

Boas Novas
Informativo do Americas Oncologia publicação interna bimestral

Coordenação Editorial
Oncologia Clínica
Dr.ª Monica Schaum
Gerência de Marketing
Viviane Serretti Barbosa

Projeto Gráfi co e Diagramação
Tutti Design

Jornalista Responsável
Claudia Jurberg (Mtb 19457)

Tiragem: 3.500

Contato/Sugestões
marketing@americasoncologia.com.br

Compartilhe: